O Louvre no Museu da Escola de Arquitetura da UFMG

Cartaz-MEA-682x1024

O edifício tombado da Escola de Arquitetura da UFMG tem por contraste às suas linhas modernistas inúmeras réplicas de estatuários da antiguidade, em concreto ou gesso. Possui uma grande coleção de obras do Aleijadinho, um dos maiores mestres do barroco mineiro. Entretanto, suas reproduções não se limitam à arte nacional. O MEA possui uma expressiva coleção de estátuas em gesso com temas diversos: arte egípcia, bustos de épocas variadas, detalhes arquitetônicos, em especial capitéis com inspiração greco-romana. Ali estão, ainda, réplicas de estátuas cujos originais encontram-se na França, como a famosa Vênus de Milo. Segundo a história oral, estas peças teriam sido adquiridas por um professor da arquitetura, na primeira metade do século passado, em um leilão no porto do Rio de Janeiro. Estariam sendo levadas a leilão por falta de pagamento de impostos da parte de seus importadores. Teriam sua origem, ainda, vinculada ao Louvre. Entretanto, todas as informações referentes às peças encontravam-se sem qualquer comprovação histórica, até que, após intensa pesquisa desenvolvida pela equipe do MEA, descobriu-se antigas fichas das estátuas. Nestas fichas, a aquisição das réplicas de obras mundialmente famosas encontram-se datadas no ano de 1952, sendo o fornecedor denominado “Maison Bonnet”. Em algumas fichas, o Louvre é mencionado. Segundo a diretoria do Atelier de Moldagens da França, fundado em 1794 juntamente com o Louvre, nossas peças provavelmente se originam dali. Pelo período em que foram produzidas, há uma grande possibilidade de serem esculturas primárias, ou seja, realizadas no molde original francês e não a partir do molde de uma réplica. Estão em curso pesquisas acerca do envio da coleção ao Brasil.

VEIGA, Ana Cecília Rocha. O Louvre no Museu da Escola de Arquitetura da UFMG [poster]. In: I FÓRUM FRANCO-BRASILEIRO DE MUSEUS. Belo Horizonte, 2009.

Clique na imagem para ampliá-la

 

Menu
Translate »