Livro Gestão de Projetos de Museus e Exposições

Gestão de projetos de museus e exposições

O livro “Gestão de Projetos de Museus e Exposições” pretende percorrer o caminho de formação do profissional de projetos, com ênfase em arquitetura de museus e expografia. Sintetizando conhecimentos imprescindíveis a todos que atuam em museus, abrange desde aportes teóricos, conservação preventiva, estudos de caso contemporâneos, aspectos técnicos, dentre outros percursos formativos essenciais. Em seguida, apresenta um completo e detalhado roteiro de gestão e elaboração de projetos de edifícios e exposições.

Designing an Interactive Exhibitor for Assisting Blind and Visually Impaired Visitors in Tactile Exploration of Original Museum Pieces

Blind and visually impaired visitors experience a lot of constraints when visiting museums exhibitions, giving the ocular centricity of these institutions, the lack of cognitive, physical and sensorial access to…
Pessoal utilizando aplicativo de celular em um museu

Museus Hiperconectados

Este artigo foi publicado no Noticiário Online da UFMG e no Boletim UFMG impresso. Consiste em um texto de discussão para participação no debate Café Controverso, evento promovido mensalmente pelo Espaço do Conhecimento UFMG. Esta edição contou com o tema Museus Hiperconectados, dentro da programação da Semana de Museus 2018 do IBRAM.

Tecnologias da informação e comunicação na gestão e no ensino interdisciplinar de projetos de design: arquitetura como estudo de caso

Esse artigo apresenta um método de ensino e gestão interdisciplinar de projeto (design) por meio das TIC (Tecnologias da Informação e Comunicação) e BIM (Building Information Modeling). O método foi…

Proposal of a Tangible User Interface to Enhance Accessibility in Geological Exhibitions and the Experience of Museum Visitors

Currently, the museums use different interactive technologies to communicate their exhibitions; however, it turns out that in most cases, information is not accessible to all members of the public. In this…
sustentabilidade em museus e edifícios históricos

Edifício histórico como mediador da sustentabilidade e do espaço museológico

O trabalho visa contribuir com os diversos especialistas que examinam as questões da sustentabilidade (patrimônio sustentável), relacionadas à preservação dos edifícios históricos que abrigam museus. Busca oferecer uma perspectiva global e demonstrar que a conservação deve ser um processo dinâmico, envolvendo a participação do público, o diálogo e uma melhor gestão do espaço museal.

gestão de projetos de exposições em museus

Gestão do processo de design de arquitetura efêmera em museus

O presente trabalho discute a gestão de projetos de exposições em museus e apresenta um modelo de referência para o processo de projeto de arquitetura efêmera no contexto museal. Nesse modelo são estabelecidas fases para o processo projetual e seus produtos, priorizando os conceitos de projeto integrado.

Nova Museologia

A Nova Museologia e a interdisciplinaridade: por uma gestão participativa nos museus contemporâneos

Este artigo recupera brevemente as últimas teorias do universo museal, culminando na elaboração do conceito de “Nova Museologia”. Em seguida, aborda como a interdisciplinaridade e as metodologias de gestão, dentro dessa nova perspectiva, podem contribuir significativamente com nossos museus e instituições culturais.

Comunicação em processos de design de projetos de arquitetura efêmera: exposições museográficas

O trabalho pretende colaborar com a discussão sobre os processos de comunicação nos projeto de exposições em museus, nos quais os critérios e soluções precisam ser elaborados mais rapidamente em comparação com outros projetos. O trabalho apresenta uma abordagem teórica e introdutória à questão, concentrando sua atenção em ambientes colaborativos virtuais de projeto, bem como também em processos tradicionais de comunicação, com a apresentação de estudos de caso vigentes.

Gerenciamento de projetos de exposições museográficas

Considerações sobre o gerenciamento de projetos complexos: o caso de exposições museográficas

O artigo desenvolve considerações sobre o gerenciamento de projetos de exposições museográficas, apresentando uma proposta conceitual para a gestão do processo de projeto em situações complexas de arquitetura efêmera, como é o caso de exposições em museus. Esses empreendimentos são caracterizados pela interação dinâmica entre o acervo, o ambiente construído e os agentes envolvidos, incluindo expositores, gestores, promotores e usuários.

Ilustração Científica a Carvão e Pastel

Desenho Vivo: Ilustração Científica a Carvão e Pastel

Nesse trabalho pretendemos analisar os principais desafios, bem como as vantagens, do uso do pastel e do carvão na ilustração científica. Entendemos que tais materiais não devam ser negligenciados pelos ilustradores e possuem grande potencial. Com eles, ao longo dos séculos, cientistas e artistas produziram belíssimas obras. Desenhos frágeis, porém intensos… vivos em todos os sentidos.

Projeto CEMEMOR: Museu da Medicina da UFMG

Projeto CEMEMOR: museu, arquivo documental e biblioteca da medicina

Esse artigo apresenta o estudo de caso do museu da medicina intitulado “Projeto CEMEMOR – Revitalização Espacial e Museológica”. O CEMEMOR – Centro de Memória da Medicina de Minas Gerais (museu da UFMG) possui em seu acervo coleções preciosas e uma biblioteca de livros raros. Com base nas demandas técnicas e dos usuários, seguindo as recomendações dos manuais e instituições de referência, elaboramos esse projeto a ser detalhado nessa publicação.

Escola de Arquitetura da UFMG - Livro

Uma escola moderna

A Escola de Arquitetura da UFMG, fundada em 1930, foi a primeira escola da América do Sul a nascer desvinculada das escolas politécnicas e das escolas de Belas-Artes e Filosofia. Esse livro acompanha essa rica trajetória, paralela à da arquitetura moderna brasileira. A EA/UFMG é a responsável pela formação de grande parte dos arquitetos do estado de Minas Gerais. Nesse capítulo em destaque, os autores traçam o percurso do ensino de Tecnologia e do Departamento TAU na Escola de Arquitetura da UFMG.

Building Information Modeling

Building Information Modeling para projetistas

O livro “Qualidade no projeto de edifícios” é promovido pela Associação Nacional de Tecnologia do Ambiente Construído (ANTAC). A obra conta com 13 capítulos desenvolvidos por importantes pesquisadores da área e está estruturada em três grandes temas: “Qualidade do projeto e percepção do usuário”; “Tecnologia da informação e qualidade do projeto”; “Qualidade do projeto, meio urbano e habitação social”. No capítulo “Building Information Modeling para projetistas” os autores discutem os impactos da plataforma BIM na qualidade e gestão do processo de projetos, considerando a academia e o mercado de trabalho.

Ambientes Colaborativos de Gestão de Projetos

Ambientes colaborativos computacionais: SADP, SISAC e Buzzsaw em análise

Os ambientes colaborativos de gestão de projetos têm sido uma importante ferramenta para o coordenador, mas ainda não são adequadamente utilizados pelos demais agentes envolvidos nas diversas etapas de projeto. Por meio de softwares avançados e técnicas de engenharia simultânea, os processos e projetos otimizam-se consideravelmente, assegurando maior construtibilidade, sustentabilidade e conformidade do produto final. Contribuir para valorização desse novo paradigma consiste no principal alvo desse artigo.

O Louvre na Escola de Arquitetura da UFMG

O Louvre no Museu da Escola de Arquitetura da UFMG

O Museu da Escola de Arquitetura da UFMG (MEA) possui uma expressiva coleção de réplicas em gesso de estátuas mundiais. Segundo a diretoria do Atelier de Moldagens da França, fundado em 1794 juntamente com o Louvre, nossas peças provavelmente se originam dali. Pelo período em que foram produzidas, há uma grande possibilidade de serem esculturas primárias, ou seja, realizadas no molde original francês e não a partir do molde de uma réplica.

Escaneamento a Laser

Tecnologia de escaneamento a laser e engenharia reversa aplicadas ao patrimônio cultural urbano e arquitetônico

O escaneamento a laser resulta, ao mesmo tempo, no levantamento fotográfico, métrico/dimensional e num modelo virtual de altíssima precisão. Trata-se, portanto, de uma fotografia tridimensional metrificada. Além do modelo digital, a tecnologia pode originar maquetes reais perfeitas, a partir de recursos de Engenharia Reversa (ER). Com esse trabalho, objetivamos descrever o funcionamento da tecnologia de escaneamento a laser e apresentar um estudo de caso de sua aplicação em edificações e espaços urbanos culturais.

Translate »